Código de Barras Boleto

Dependendo de sua idade, talvez você nem lembre que pagar a conta de luz e água nem sempre foi tão prático como com boletos com código de barras. Acha ruim a fila da lotérica? Pois saiba que as coisas eram ainda piores. Os pagamentos de luz e água eram feitos nos bancos. E não, não havia essa coisa de depositar o dinheiro em um envelope e colocar em um caixa eletrônico que aceitasse depósitos. As lotéricas serviam apenas para fazer jogos. Como as contas venciam em uma data bastante aproximada para todo mundo, a fila gigante era sempre garantida. É isso mesmo: os pagamentos só eram aceitos na boca do caixa.

Então os códigos de barras foram adotados pelas prestadoras de serviços de abastecimento de água e luz. Os códigos de barras presentes nas contas são bem diferentes dos que costumamos encontrar em produtos. Enquanto as barras destinadas a produtos raramente ultrapassam treze dígitos, pelo menos no Brasil, a quantidade de dígitos em boletos é mais do que o triplo desse número. Contudo, essa não é a únicaa diferença.

Os dados contidos no código de barras de um boleto não são exatamente iguais aos dígitos impressos no documento. O código de barras contém 44 dígitos, enquanto os símbolos impressos apresentam 47 ou 48 dígitos. Tecnicamente, esses dígitos também recebem o nome de campos digitáveis. E isso faz sentido, uma vez que são os dígitos que o operador de caixa digitava no passado para identificar o documento. As cores indicam a posição dos dígitos no código de barras, além de seus correspondentes nos campos digitáveis.

A inserção de códigos de barras nas contas foi só o começo da mudança. Pode apostar que as pessoas que vieram antes de sua geração estavam mais do que satisfeitas ao descobrirem que agora havia muitas outras possibilidades para pagarem as contas. A mais popular delas consistia nas casas lotéricas, mas também já era possível quitar os boletos em lojas e supermercados autorizados.

Há uma grande tendência de as pessoas se habituarem logo ao conforto. Não demorou muito para que até as filas em locais alternativos de coleta se tornassem indesejadas. O alto fluxo de trânsito das grandes cidades também contribui para que o tempo se torne um bem muito mais precioso. E então, novas comodidades vão surgindo.

 

O sistema de pagamento de boletos com código de barras moderno

Houve uma série de mudanças para agilizar o processo de pagar contas sem gastar muito tempo. Com o advento da internet, os bancos não tardaram a implantar sistemas bastante seguros, embora não infalíveis, de efetuar transações bancárias no conforto de seu lar. Nos sites das respectivas companhias de fornecimento, tornou-se possível imprimir uma segunda via de boleto sem ter que se deslocar a uma agência. Algumas pessoas optam até por alternativas ainda mais práticas: receber suas contas por e-mail ou permitir o débito automático.

Quando falamos em contas, porém, sabemos que há outros pagamentos que um usuário precisa efetuar. Além da conta da internet, um serviço que nem nos preocupava há menos de vinte anos atrás, existem outras dívidas a quitar. Pode ser a fatura do cartão, o valor de um produto comprado em uma loja virtual ou a mensalidade de um plano de saúde.

É muito importante frisar aqui que nem todo mundo usa o sistema de internet banking. Com um alarmante registro de fraudes e invasões, os mais precavidos preferem se manter longe de sua conta no universo online. E imprimir boletos para pagamento posterior não é mais considerado tão prático como nos primeiros tempos em que essa opção surgiu.

 

A luz no fim do túnel está no celular para usar boleto com código de barras

Em combinação aos aplicativos criados para transações pelo celular, uma enxurrada de novidades está disponível no mercado. Esqueça aquele pesadelo de digitar um número gigantesco no caixa eletrônico, ou mesmo de esperar que o leitor de códigos de barra do caixa consiga ler aquela sua conta toda amassadinha.

Tudo começou com as operadoras de telefonia móvel fazendo parcerias com os maiores bancos. O objetivo é facilitar a vida do cliente, que poderá fazer operações de transferência, saque, consulta de saldo, compras e muito mais com apenas alguns toques, onde quer que ele esteja. Este é um valor agregado bem difícil de mensurar para qualquer cliente.

Na esteira dessas evoluções, os sistemas de códigos de barra também trataram de se ajustar aos novos tempos. Já tínhamos o código QR, um divisor de águas para uma série de atividades online, tais como autenticação de identidade, consulta de dados de um produto e muito mais. Agora, o sistema se ajusta ao que os usuários mais desejam: manter suas contas em dia sem depender de um deslocamento físico que pode ser bem demorado. E deixando aquela longa fila de espera definitivamente no passado. E se você não tem conta em banco, como uma parcela significativa da população brasileira, não se preocupe. Há soluções pré-pagas em desenvolvimento especialmente para você.

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *