Códigos de Barras no Brasil

canstock9287223Pouca gente sabe, mas os códigos de barras nasceram há mais de cinquenta anos. Isso mesmo: ainda na década de 1940. Precisamente em 1948, um comerciante norte-americano procurou um dos reitores do Instituto de Tecnologia de Drextel, na Filadélfia, para relatar uma dificuldade no setor de alimentação. O homem era diretor de uma cadeia de empresas alimentícias, e se queixava de processos lentos e trabalhosos para registrar e calcular os itens consumidos pelos clientes. Embora o reitor não levasse a queixa tão a sério, dois estudantes se interessaram pelo problema. Nos anos seguintes, muitos esboços e rascunhos seriam traçados até que o resultado final fosse obtido.

Quando a indústria bateu o martelo tanto sobre a versão a ser utilizada do código de barras quanto aos leitores correspondentes, o mercado recebeu a novidade de braços abertos. Já era final da década de 1960. Um dos primeiros grandes clientes foi a General Motors, que instalou o sistema em sua fábrica de Flint, no Michigan, na primavera de 1969.

 

Códigos de barra no Brasil

barcode-scannerCerca de vinte anos depois, na década de 1980, a novidade chegava ao Brasil. É natural supor que ela foi recebida com certa resistência. Os trabalhadores temiam que a adoção de códigos de barras pudesse gerar uma onda de desemprego. Sua preocupação era compreensível, uma vez que o sistema poupava uma quantidade significativa de tempo e esforço na hora de passar os produtos em um caixa, por exemplo. Também nas fábricas as possibilidades eram assustadoras. Alguns processos manuais seriam repensados, o que poderia gerar baixas na folha de pagamento.
Os consumidores, por sua vez, expressavam o receio de serem enganados. Com a ausência de etiquetas de preços, não havia como saber se eles estavam pagando o valor anunciado do produto. Para tranquilizá-los, havia o consolo da existência de uma lei que exigia que os preços dos produtos ficassem bem visíveis nas prateleiras. A lei permanece até hoje, mas a preocupação com o sistema de códigos de barras deu lugar à satisfação do conforto.

No início, também corriam rumores de que o laser dos leitores de códigos fosse prejudicial à visão. Isso não chega a ser surpreendente. Ainda hoje, persistem boatos sobre a natureza nociva de uma infinidade de produtos e dispositivos, sendo o mais famoso deles o celular.

Três décadas se passaram. Tornou-se difícil imaginar a atualidade sem as famosas listras em preto e branco, com os números registrados logo abaixo. Os códigos de barras chegaram não só para diminuir o custo das mais variadas operações. Ao longo dos anos, o sistema aumentou a eficiência de empresas dos mais diversos segmentos. Além disso, ele também contribuiu para estabelecer novos parâmetros para a relação entre grandes varejistas e consumidores. A possibilidade de cobrança indevida sofreu uma redução considerável, bem como a falta de uma etiqueta de preço não faz tanta falta assim em um grande supermercado. Afinal, é sempre possível consultar um leitor de códigos de barra espalhados pelos corredores das instalações.

 

Códigos de barras Brasil: Das prateleiras dos supermercados para o mundo

scanner-315882_1280Devemos muito da aceitação dos códigos de barras às grandes redes varejistas. Inspiradas por seus casos de sucesso e pela solidez dos resultados apresentados, dezenas de outros segmentos decidiram se aventurar no caminho da tecnologia. Para os fabricantes, era uma mão na roda poder incluir informações valiosas sobre o produto, como data de validade, local de fabricação e composição, por exemplo, de uma maneira tão simples. Ainda melhor do que essa praticidade era a certeza de que os revendedores teriam acesso a esses dados relevantes aonde quer que estivessem.

Empresas de transporte não demoraram a acompanhar as tendências. O uso do código de barras reduzia custos e burocracia na hora de localizar produtos ou indicar seus destinos. As companhias aéreas descobriram a segurança de ter um código confiável para atestar a validade dos bilhetes emitidos. E o sucesso foi seguido de perto por empresas de transporte nacional, em especial as companhias de ônibus que oferecem serviços de passagens entre cidades ou estados.

 

Novas promessas de uso de código de barras no Brasil em um novo milênio

scanner-315881_1280Se ao longo dos últimos trinta anos as empresas foram se rendendo aos encantos do sistema de códigos de barras, finalmente chegou a vez de seduzir outra variável dessa equação. Estamos falando dos consumidores.

Há não muito tempo atrás, os benefícios dos códigos de barra chegavam aos clientes dos mais variados mercados principalmente em termos de tempo poupado nos processos pagamento de contas ou aquisição de produtos. A criação de numerosos tipos de códigos de barra chegou para mudar essa história.

Agora, os clientes começam a aproveitar todos os benefícios dos códigos de barras sem sair de casa. Para falar a verdade, eles podem estar onde bem desejarem. O sistema possibilita que paguem suas contas, pesquisem produtos e efetuem compras na tela de seu celular. Depois de anos colhendo os generosos frutos proporcionados pelos códigos de barras, os consumidores estão prontos a adotar o sistema de braços abertos.